• Rafaella Biagi

Qual tipo de papel é mais sustentável?



Cada vez mais empresas, desde grandes companhias a negócios autônomos, tem se preocupado em trazer a pauta ambiental para a vida de suas marcas - tanto pela urgência das questões climáticas quanto por investimento, posicionamento e crenças e conceitos de cada marca. O fato é que incorporar atitudes mais sustentáveis no sentido ecológico fala diretamente sobre o mundo que queremos viver e construir, é sobre assumir a responsabilidade.

Dentre todas as mudanças que podem ser feitas na esfera ambiental, como a redução das emissões de CO² (um dos principais gases do efeito estufa) e resíduos, ainda são poucas as empresas que pensam sobre o material que estão produzindo seus materiais de comunicação, desde embalagens até um cartão de visita ou impressos (desnecessários, muitas vezes) de dia a dia. Mas calma, o número de marcas que se importam está crescendo e uma das primeiras atitudes adotadas costuma ser trocar plástico e papéis dos materiais mais usuais (como cartões de visitas, embalagens que não são de larga escala, entre outros), por kraft ou papel reciclado – porém é necessário atenção ao escolher, para garantir que seu objetivo ao fazer essa troca está realmente sendo atingido.


Qual é o problema do papel?


Além de todo lixo gerado (que representa 40% do lixo acumulado no Brasil, por exemplo), o processo de produção desde o plantio ainda é preocupante - apesar de o setor ser extremamente rígido. O principal componente do papel é a celulose, resultado do processamento da madeira (que costuma ser eucalipto), porém quando chega à fábrica, para obter uma textura lisa e a cor branca, são usados materiais altamente tóxicos e também é maior o consumo de energia e água, gerando também mais resíduos e CO² (um dos gases mais prejudiciais do efeito estufa). Atualmente existem muitas prescrições e normas ambientais para essas indústrias funcionarem, mas mesmo assim existem alternativas para quem quer realmente fazer sua parte pelo planeta e saber se a empresa de onde vem seu papel está cumprindo com pautas sustentáveis.


O que são papeis sustentáveis e certificados?

Os papéis sustentáveis são aqueles que efetivamente possuem o certificado de procedência, garantindo que o material foi produzido com práticas sustentáveis (desde o manejo florestal ao respeito às comunidades locais e condições de trabalho) e até mesmo informando ao consumidor o total de carbono emitido na atmosfera durante a fabricação.


Atualmente existem três selos para ter essa segurança:


INTERNACIONAIS

  • FSC (Forest Stewarsship Council) - Conselho de Manejo Florestal Internacional, atesta boas práticas de manejo ambiental durante a produção do material;

  • Carbon Footprint – fornece uma estimativa da quantidade de dióxido de carbono produzida através das atividades de cada empreendimento do qual você pode consumir;

NACIONAL

  • Ceflor – Programa Brasileiro de Certificação Florestal, assegura o cumprimento das normas ambientais, econômicas e sociais definidas pela ABNT


Mas e o Kraft?


Além de mais acessível e versátil para embalagens, ele substitui muito bem o plástico não apenas pela resistência mas principalmente por seu tempo de decomposição na natureza. Enquanto uma sacola de plástico leva de 100 a 400 anos no meio ambiente (além de todo CO² produzido desde sua produção, prejudicando ainda mais o efeito estufa), enquanto uma sacola de papel kraft leva de 3 a 6 meses apenas – isso porque ele é feito a partir de fibras de celulose da polpa de madeiras macias. Além disso, seu visual rústico aliado à alta resistência acaba fazendo a escolha cada vez mais comum.


Porém é preciso estar atento: nem sempre o Kraft é uma escolha sustentável, levando em conta a procedência da fibra e até mesmo a sustentabilidade de todo sistema de produção, não apenas na esfera ambiental mas também social e econômica. Mesmo assim, muito mais vantajoso para o meio ambiente do que o plástico, sendo uma boa substituição.


Importante: ele não pode ser usado em impressoras comuns, correndo o risco de danificar as mesmas tanto pela sua gramatura/espessura geralmente ser maior quanto pelo resíduo que solta durante o processo de impressão, podendo comprometer a máquina.


Papel reciclado é ecologicamente correto?


Além de frequentemente estimular e economia circular e pequenos produtores, é uma alternativa ecológica extremamente válida - pois ele reaproveita papéis que não seriam mais utilizados das seguintes categorias:


Pré-consumo – resíduos de indústrias e gráficas

Pós-consumo – já utilizados, como cadernos, revistas, livros e embalagens, recolhidos por empresas especializadas


O papel reciclado pode ser desenvolvido por diferentes tipos de iniciativas:

ONGS – que inclusive compram o material de catadores e empregam pessoas carentes ou de comunidades locais para a fabricação manual

Empresas – com produção manual e artesanal

Indústrias – com maquinário de alta tecnologia, chamado reciclato


Mas atenção! Não há como ter certeza da procedência do material que está sendo reciclado e nem da efetiva sustentabilidade no processo, como resíduos e poluição gerada. Porém, mesmo assim é uma alternativa muito positiva pois pode beneficiar diversos setores e dar um novo destino ao que representa cerca de 40% do lixo acumulado, o papel.


O que é esse tal de RECICLATO?



É o primeiro papel 100% reciclado produzido em larga escala no Brasil, de forma industrial, a partir de sobras (75% da composição, correspondendo ao material reciclado dentro da fábrica) e pós-consumo (25% de material vindo de coleta urbana). Seu modo de produção garante um papel mais liso e mais claro do que a maioria dos reciclados e ele é feito com 75% de sobras das próprias fábricas de papel e 25% de material vindo de coleta urbana.


Esse é o papel mais comum de se encontrar como alternativa e com custo mais acessível, pode ser encontrado até mesmo em papelarias e a maioria das gráficas rápidas / comuns oferecem.


Papel semente tá na moda



Imagina só imprimir seu material e seu cliente poder, ao invés de produzir mais lixo no meio ambiente, plantar esse papel transformando numa horta, um vaso ou mesmo colocar em seu jardim? Esse tipo de papel é produzido com aparas e sobras não-funcionais como o papel reciclado, porém contendo também sementes. Sua gramatura mais densa e textura também dão um toque rústico e diferenciado.


Como saber a procedência, selo ou certificado, na hora de produzir seu material?

Muitas gráficas e fornecedores diversos só compram matéria-prima de empresas com essas características, vale consultar ou mesmo levar em consideração na hora de pesquisar – se esse é seu objetivo. Caso tenha uma agência cuidando de seus materiais, levante a questão e solicite, como fazemos aqui na Trisko onde já temos um mailing bem consolidado de fornecedores sustentáveis que são sempre a primeira opção que indicamos aos nossos clientes.